terça-feira, 28 de julho de 2009

DA AMIZADE


Que sentimento é esse que nos faz presente, no coração e na vida, de quem nos ama ou quem amamos ? Ser amigo, ter amigos aquece o espírito.

Ausência e distância física, pouco alteram a trajetória de uma amizade com qualidade. Tanto é assim que, ao revemos um amigo, não importa o tempo e a distância de que fomos privados na convivência. Num lampejo tudo se renova e recomeça. Ou melhor dizendo ...continua !


E do que é feita a amizade? de pequenos e grandes gestos, poderia lembrar, mais do que intenções.

A lista é grande. Cada um tem a sua. A minha, pode começar com o carinho, passar pelo cuidado ou zelo, como dizia um namorado ciumento.
Pelo silêncio, pela coragem de não calar, pelo colo... na hora de mais precisão.

Em cada momento ou etapa da vida elegemos amigos, descobrimos uns ,perdemos outros. Somos escolhidos ou abandonados.
De tão delicada, embora não seja frágil, a verdadeira...A amizade só pode ser realimentada pela confiança. Entre amigos ela não há de faltar! Nunca, senão não é amizade.
Admiração é um molho especial para dar sabor ao tipo de emoção, que inunda nosso sentimento.
A identificação com os projetos do outro também ajuda, mas não é imprescindível. Senão pessoas amigas de gerações diferentes, e visão de mundo idem ,não se dariam em amizade!

Não pretendo, aqui, fechar questão em torno dos atributos da amizade, talvez a única coisa que queira mesmo falar é da perda.


Hoje, perdi para sempre uma amiga, que me viu nascer, que me deu colo quando outros acabaram ou falharam, que iluminava meu coração e acalentava minhas desilusões, tão mais frequentes nesta vida.

Morreu, Paulina. Paula, Paulinha, como a gente a chamava, querida e doce amiga.

Porisso, compartilho uma certeza que Guimarães Rosa encontrou para todos nós e, já foi citada aqui : As pessoas não morrem ficam encantadas.


Minha amiga, que a paz esteja com você. Sua voz e seu sorriso estarão sempre comigo iluminando algumas sombras dos caminhos que ainda tenho para percorrer.

Sua preciosa suavidade e máxima característica - a doçura íntegra - ficam guardadas com cada um de nós, enquanto existirmos.

Preciso , ainda, dizer que dor maior, quando perdemos amigos, não é a dor provocada pela morte, que não nos rouba a vivência nem as lembranças. Prepara -nos sim para a ausencia prolongada a ser sentida.

Dói bastante, quando há o desapontamento. Como tudo o mais, o tempo cura. E as amargas lembranças não são para guardar.

Beijo a cada um com carinho.

Maysa

5 comentários:

ELIANE FARIA disse...

AS GERAÇOES DE AMIZADE DA NOSSA FAMÍLIAVÃO PERPETUAR PARA TODO SEMPRE, POIS É O LEVAMOS DA VIDA. DO PUXÃO DE ORELHA AO AFETUOSO COLO MOSTRAM OS DIVERSOS TIPOS DE FLORES QUE ESTÃO EM NOSSAS VIDAS.

Maysa disse...

Querida Eliane
A nossa Paulina,PAULA, Paulinha, mãe, avó, bisa, amiga estará viva sempre em cada uma de nós.
Reencontraremos sua doçura no dia-a-dia,aí, onde é mais difícil ser. Praticando o perdão silencioso e amoroso que ela sabia oferecer. Companhia prestimosa para as dores dos que precisam de afeto.
Um beijo querida,e outro nas 3 lindas meninas.
Maysa

Amalia disse...

Maysa,
Adorei seu blog e mais ainda suas palavras.
Não conheci Paulinha mas pela doçura que você relata dá para sentir o quanto amiga é, e foi...
A amizade compartilhada durante uma vida não se perde nunca! Ela fica...Mesmo que no silêncio de nossas orações e pensamentos.
Grande beijo.
Com carinho,
Amalia

Maysa disse...

Amalia

Com o tempo lhe prometo, relatar a grandeza de coração e, o modo de ser suave, da minha querida Paula.
Tinha uma característica rara hoje em dia, e convivi com isso, era querer e ajudar, todo mundo a ser mais alegre e feliz.
Vai fazer falta, vai... mas deixou muita coisa boa como herança para nós.
Bjs
Maysa

Maysa disse...

Amália (2)

Fica meu carinho e satisfação por v. começar a acompanhar O NINHO. Faço-o com amor, paixão e mesmo com minhas tristezas, as minhas tempestades, quase todas passadas pela alquimia e aqui renascidas com a suavidade da brisa do mar !
Bjs
Maysa