sábado, 22 de janeiro de 2011

LEONEL BRIZOLA - 89º ANIVERSÁRIO






LEONEL DE MOURA BRIZOLA


Aqui, n'O Ninho e a Tempestade, deixo homenagem ao homem público LEONEL DE MOURA BRIZOLA. Se vivo estivesse faria nesta data-22de janeiro-oitenta e nove anos. Morreu em 2004, aos 82 anos, na cidade do Rio de janeiro.

Tive a honra de com ele conviver, na construção do Partido Democrático Trabalhista.

Acompanhei e participei das etapas para a re-fundação do novo PTB - início dos anos 80. Perdida a sigla, para as artimanhas políticas, bem sucedidas, do Gal. Golbery, em memorável dia transformamos a derrota em esperança: Fundamos o Partido Democrático Trabalhista - PDT.

Criticado pela inteligência brasileira, alcunhado de caudilho, ofendido e tratado com desprezo pelas novas forças políticas como demagogo, ele não surgiu na cena brasileira por acaso. Foi um autêntico líder popular e não populista.

Sua história pessoal,triste e trágica como a de milhares de brasileiros pobres e órfãos, era a motivação para divulgar sua maior bandeira de luta e emancipação: A Educação.

Esse homem público, respeitado por uns, odiado pelas elites e pelos pelegos contemporâneos, foi um exemplo de patriota.

Respeitava a coisa pública e seu projeto político compreendia uma Nação soberana; falava das perdas internacionais, da espoliação dos trabalhadores, e das riquezas nacionais; foi boicotado pelos meios de comunicação. Travou grande luta denunciando os privilégios das elites nacionais e internacionais, que sangravam nossa economia em espúrios e lesivos acordos financeiros, econômicos, sociais e políticos.

Que os jovens, algum dia, ao comemorarem os avanços de nossa democracia, lhe façam justas homenagens.

Se fosse ávido pelo poder, não teria mantido o gesto generoso de abrir mão, em 1998, de sua candidatura à Presidente do Brasil.

Morto sua memória, seus atos públicos são seu único legado. Cada brasileiro que com ele teve a honra de conviver, aprendeu, sabe e saberá honrá-lo nesta caminhada.

Aos que vilipendiam seus ensinamentos e exemplos só podemos lembrar: A história os julgará, os esquecerá.

Ainda é tempo!

Um abraço carinhoso para os que por aqui passam!

Maysa




PS: Para os que desejarem informações mais pontuais, sugiro o link abaixo:

4 comentários:

Pedro Ayres disse...

Maysa
É realmente mais do que justa a homenagem prestada ao nosso velho Comandante Leonel Brizola. Para mim, que tive o privilégio de o conhecer desde 1961 e com ele participar da fundação da Frente de Mobilização Popularm um conhecimento que se transformou em amizade, é muito triste saber que não está conosco para er que o povo está construindo o Socialismo Moreno, hoje conhecido como o Socialismo do Século XXI.
Que seja eterna e sempre viva a memória de Leonel Brizola.
Um grande abraço
Pedro Ayres

Maysa disse...

Querido Pedro


Desejo, ardentemente, que essa parte de nossa historia seja contada e conhecida por todos.
A MEMORIA DA ERA BRIZOLA, acaba com ele ultimo grande lider nacionalista que tivemos!
Beijo afetuoso
Maysa

VELOSO disse...

Claro que nãoconheci profundamente Brizola mas sempre me passou a imagem de um homem integro que nunca se dobrou ou desistiu de seus ideais uma merecida homenagem.
Obrigado por me ajudar acarregar o Baú Maysa. Felicidade sempre!

Maysa disse...

Veloso

Seu baú é muito fácil de carregar! Tem alegria, movimento, cor, traço e criatividade!
Eta baúzinho bom!!!
Já outras situações geram baús pesados, falsificados, apresentados por intrometidos, oportunistas... por aí indo!
Por falar no Brizola, desejo mesmo que sua memória seja cultivada e preservada.
Todos sabem que nem sempre familiares ou escolhas pessoais feitas, por ele, fazem juz ao patrimônio que ele representa em dignidade, probidade administrativa e, sobretudo, coerência política.
Um exemplo bom é esse caso das pensões dos governadores!!! Brizola não assaltaria o erário público...

Beijo
Maysa