segunda-feira, 23 de março de 2009

A 4ª Madrugada

Na solidão do quarto
solidão da vida
Na total solidão da madrugada
silêncios falam.

Então, gatos nos muros e telhados,
anunciam
o espetáculo do gozo prolongado.
Estridentes são os sons.
Confundem-se com o choro
de fome dos recém nascidos.

O mundo lá fora continua a correr
a partir... a deixar de ser...
sem vestígios ...
Onde um tempo mínimo
só para se bem viver?

O hoje, desfaz o ontem.
O dia seguinte amanhece
sem ter dormido como eu.
Não há sono, nem sonhos.
Não sei de você,
nem de mim.

Maysa

.../setembro / 2007


Madrugadas de insônia são mais frequentes do que se pode acreditar. Vá lá, tenho uma gaveta de papéis... amarrotados, que não devia mais ler! A insônia é uma prima distante do sono fujão, contei para minha netinha numa historia que inventamos juntas.

Bjs Maysa

2 comentários:

Jorge disse...

Maisa.
Gostei muito do seu blog e tomei a liberdade de segui-lo.
Se puder, faça uma visita ao meu.
http://blogdojorge2.blogspot.com/
Veja os videos. São poesias minhas em video, declamadas por mim.
Apreciei demais o seu.
Abraços,
Jorge

Maysa disse...

Olá Jorge,

Agradeço as palavras. O Ninho é feito com carinho e muita força de vontade.
Vou lá sim.
Abcs Maysa