quarta-feira, 4 de março de 2009

Os Ombros Modulam o Vento - Zetho Cunha Gonçalves










Van Gogh
Irises
1889






Zetho, nasceu em Huambo, Angola. vive em Lisboa.
Escolhi este poema, em seu livro ,A Palavra Exuberante, Edição patrocinada pelo Instituto Português do Livro e das Bibliotecas.
É um amigo recente. Ensinou-me, na sua língua nganguela, que machado se diz "kandjimbo". Tem um bonito som, ora pois!



Entristece
a tua tristeza
- e canta


( os ombros modulam o vento
modulam a noite
a soberana voz
dos horizontes)


entristece
a tua tristeza
- e canta


Beijos

Maysa

3 comentários:

VISION DE ARLEQUÍN disse...

Hola, vagando por la blogósfera me he encontrado con tu blog yme ha parecido muy interesante. Desde México te mandoun saludo y espero verte pornto por mi sitio.

Nos vemos, hasta pronto.

"La vida es un gran circo, pero sin espectadores"

Maysa disse...

Hola! Vision de Arlequin!


Gracías por las palabras de incentivo!
Hace poco tiempo que me dedico a'O Nido y la Tempestad, pero poco a poco llegaré al cume! rsrsrs

Siempre que tu quieras escrìbeme y si te hace placir posta una poesia tuya, acá.
Este espacio es plural.

Abcs
Maysa

Ana P. disse...

Eu conheço tanta coisa boa por aqui ...
Beijos, querida!