sexta-feira, 5 de junho de 2009

SEU JAIR DO CAVAQUINHO - Lendas da MPB - I





Atendo à sugestão, para mim, bastante prazerosa de meu único e querido sobrinho. Ele é jovem, pesquisador de música e instrumentista dedicado, como poucos. Ainda não é conhecido do público, mas certeza de veterana, em breve será. Só depende dele.
Em nossas conversas, assim, devagarinho, como é do seu jeito, surgiu a pergunta:
"Ô tia! Porque você não escreve no seu blogue sobre música brasileira? Alí você pode contar o que viveu e sabe? Você viu muita coisa...tá na hora de contar".

Deu um frio na espinha. Gente jovem , nos tempos atuais, é prática. Vai ao ponto, não rodeia.
Percebi que tá na hora mesmo.

E lá estou eu embarcando, com delicada atenção, nas lembranças que minha rebelde memória muitas vezes traz.
Umas entrevistas ali, outras aqui, algumas fitas cassetes, registros esquecidos na estante, ouvi muita conversa deliciosa. Ouvi e vi ,também, muita declaração de amor à música.
E é desse lugar - do amor à nossa música, instrumental e cantada - que vou começar a lembrar.

É claro, ofereço essa ginástica à curiosidade e sede de conhecimento dos jovens interessados em música brasileira.
Admiração e encantamento são bons companheiros nessa viagem.

A poesia que é o foco d'O Ninho e a Tempestade, está à salvo e prestigiada, não só nas letras lindas que podemos juntos lembrar mas, nos acordes, que estão em nossos ouvidos e, que os CDs ou outros suportes de reprodução musical, nos brindam.
Convido a todos para contribuirem nesse novíssimo espaço lítero musical. Entrem a porta está aberta.

Lendas da MPB - I
Hoje, começo respondendo uma consulta desse mesmo, diligente e amado, sobrinho.
Ele me pede a ficha técnica do CD : Seu jair do cavaquinho.
A resposta vocês vão ler aqui. A minha viagem na amizade com o mestre Jairzinho (26.04.1922, Rio /6.04.2006, Rio) pretendo evocar, no estilo de como ele dançava o passo miudinho. Pura e boa malandragm carioca.

Contá-la passo à passo, ilustrando o caminho com músicas e, mostrar um pouco mais, a pesquisa que fiz para escrever o artigo sobre ele, na Revista Música Brasileira, número 9, janeiro de 1998, editada pelo querido amigo, o jornalista Luís Pimentel.
O subtítulo: "É o meu amor maior que o teu sofrer", frase poética, por mim escolhida para homenageá-lo , citando a sua composição ANA - letra e música - preferida.
O dicionário de MPB, de Ricardo Cravo Albin é permanente fonte de consulta para os amantes da nossa música. Leia mais aqui.

Ficha técnica:

Fabricado pela Sony Music
Pedro Amorim-Produção e arranjos
Bernardo - violão
Carlinhos - violão 7 cordas
João - cavaco
Pedro Miranda - pandeiro, pratos, tamborim, agogô, ganzá, queixada, surdo
Ricardo - surdo, caixas, ganzá, tamborim, triângulo
Marcelo - sax-tenor, clarinete, flauta, flautim
Pedro Amorim -bandolim, tamborim, reco-reco, caixinha, pandeiro, caixa de papelão, violão tenor
Paulino - repique de anel, tamborim, cuica, atabaque
Seu Jair - cavaco e tamborim
João Lyra - viola
Kiko Horta - acordeon
Maurício - 7 cordas

Um beijão


Maysa


6 comentários:

João disse...

Oi tia, obrigado pelos elogios e por postar a ficha técnica do maravilhoso cd do Jair, que com certeza, quem escutar esse disco perceberá que Nosso Jair é muito mais que um sambista. Ele esta imortalizado nessas gravações como um grande artista e musico brasileiro.

bjs joão

Maysa disse...

Disponha, João!
Concordo com suas observações sobre a Arte do Jair.Grande figura da MPB.Conheci-o no auge, no ocaso e no auge de novo. Sempre a mesma delicadeza.
Quanto ao que disse sobre você, não são elogios. Por temperamento e profissão, acrescentando a idade, sou uma observadora treinada.Você é bom. Vai chegar o dia em que sua decisão levará em conta o prazer e o amor pela música.
Na ficha técnica do CD, o cavaco é tocado pelo João, do grupo Semente.
Já o Maurício 7 cordas, ainda não estou certa, vou chegar lá. Pode ser o Carrillo mesmo,e só aparece na última faixa do CD,na música ADEUS PALHAÇO, já ajuda!
Bjs da tia

LIBERATI disse...

Bela idéia essa do teu sobrinho, Maysa
Conte mais histórias sobre as figuras que você conheceu. A nossa memória coletiva agradece.
bjs
Bruno

Maysa disse...

Querido Lib,saudade!

Tô quieta mas acompanho teu adorável espaço.É movimento e notícia boa, todo dia!Ilustração capítulo a parte para comentar em breve.
Relatos sobre lendas da MPB:
E é desse lugar - do amor à nossa música,instrumental e cantada - que começo a lembrar. Felizmente, tem muita gente boa, ainda viva, e na ativa! como diziam os que já partiram.
Bom mas o século XX se foi e nós estamos aí, testemunhas das histórias...
Bj

Maysa

Ana P. disse...

Eu também gostei muito do pedido/sugestão de João. Seu canto está cada vez mais gostoso, e principalmente generoso. Por que história (e as suas, principalmente) precisam ser compartilhadas.
Beijo, querida!

Maysa disse...

Olá Ana,

A sua observação "seu canto está cada vez mais gostoso" disparou uma emoção nova, em mim!
Como será que Ana, pode avaliar se só canto no chuveiro?
rs...rs...
É minha amiga, meu canto aqui é para receber os amigos, os curiosos, os estranhos, mas sobretudo gente que, como nós, encontra ou cata poesia em tudo que vê, sente e aprende.
Beijão
Maysa