sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

MEU MAR DE CRIANÇA - MAYSA MACHADO

Rio/penhasco da niemayer/foto maysa/ abril de 2010






MEU MAR DE CRIANÇA



Contaram-me que em todo amor

tem o tempo da espera

do desespero

da desesperança.

Inda assim

deixa eu te amar

serena e, fundamente

como o mar ...

de meus dias de criança.

Distante e perto mistério

por ele, por ti,

vivo atraída.

Tão fundo sentimento

Até parece verdadeiro.

Quimera?

Inda assim não fujas!

Conversas tolas

não existem... São só apelos!

São vielas para deixar

a essência do amor ficar.

Dias, noites, lembranças

entregas, desejos

miragens misturadas

à esperanças.

Barra, 11 de fevereiro de 2011


Um abraço carinhoso

Maysa

2 comentários:

AC Rangel disse...

Amar uma criança,
o mar, teu amor.
Navegar, ninar,
viver...

Linda poesia

Parabéns

beijo


Rangel

Maysa disse...

Alfredo

Você gostou? Que bom, fico contente!
Poemas são instantes em q conseguimos encontrar o tempo... submergir nas margens exíguas de humanidade. Roubar do tempo corrido que nos imprensa...um pouco de esperança!
bj
Maysa