domingo, 15 de fevereiro de 2009

Bilhete com endereço - Mario Quintana








Mas onde já se ouviu falar
Num amor à distância,
Num tele-amor ?!
Num amor de longe...
Eu sonho é um amor pertinho
Um amor juntinho...
E, depois,
Esse calor humano é uma coisa
Que todos - até executivos - têm.
É algo que acaba se perdendo no ar,
No vento
No frio que agora faz...
Escuta!
O que eu quero,
O que eu amo,
O que desejo em ti

É o teu calor animal! ...

in, Baú de Espantos, Editora Globo, 4ª ed.

ooooooooooooooo



Bilhete para o Mario.

Ah! querido poeta
você nem advinha!
no momento, anda em falta
o tal do amor pertinho
e, como a Dolores avisou:
"quem não tem amor
leva a vida esperando"...
O tele-amor,
que só você inventou
tá valendo !

Desde quando?
coisas do milênio
...
recém chegando.

15.02.09
Maysa

2 comentários:

Otto disse...

Sua poesia nos enche de soavidade e ternura. Obrigado para compartilhar conosco esse seu mondo maravilhoso.

Ana P. disse...

É lindooooooooo!
Quintana via além do seu tempo. Tão apropriado ... rsrsrsrsrsrsrsrs. Adorei.
Beijos!