sábado, 26 de março de 2011

POEMAS DE ANA MARTINS MARQUES - POESIA NO COTIDIANO





Alguns dos que passam por aqui n' O Ninho e a Tempestade sabem que sou leitora assídua do Caderno Prosa & Verso, aos sábados. O jornal - O Globo- circula em quase todas as capitais do país.

Essa manhã me delicio com o artigo do poeta Carlito Azevedo (1), os poemas de Ana Martins Marques (2), e as ilustrações de Alvim.

Desperto bem. O texto de apresentação - Paisagem, travessia e símbolo - flui, o poeta, crítico e editor não podia nos oferecer instigação maior que as reflexões provindas dos poemas de Ana, no livro "A vida submarina".

“Ana em verdade nos fala da impossibilidade do pleno florescimento de cada desejo genuíno, do "ainda não" da vida real, da queda em si das consciências desencantadas. Um olho para as noções cristalinas e outro para o barro do humano" (in, pag. 3 do Prosa & Verso-sábado, 26.03.2011).

Viajo no tempo e na poesia da vida. Bem jovem, já casada, fazendo mestrado na USP, em S.Paulo, prosseguia meu aprendizado, na Maison de France. Na apresentação entre os estudantes, nossa profª - ao saber meu estado civil - indaga se já tinha filhos. Minha resposta valeu-me um apelido inusitado: madame pas encore.

E é, justamente, com esse ainda não da vida real, que algumas vezes nos encontramos, é com ele que precisamos ajustar as contas do desejo e do fazer.

Ana nos diz:

"Não tenho muita rotina para escrever. Acho que a poesia é uma forma de atenção, um modo de olhar as coisas. Sempre levo um caderno e lápis na bolsa e vou anotando o que aparece: pode ser uma imagem, uma palavra, uma citação; com alguma sorte, um poema inteiro. O resto é trabalho de reescrita. Acho que a leitura e a escrita possibilitam uma relação diferente com a linguagem e também com o tempo, uma relação não pragmática, e abrem assim um espaço de liberdade que eu considero essencial."

Sugiro a leitura na íntegra da entrevista dada por Ana Martins Marques, ano passado ao Caderno Ilustríssima da Folha aqui.

Fiquem atentos com a poesia contemporânea, que brota em Minas, produzida por mulheres jovens escritoras... Compartilho com todos os seguidores deste blog, meu especial carinho para os d’além mar, a poesia de Ana:

ÍCARO

Somos os dois

Incompatíveis

como a cera

e o sol

e no entanto

parecemo-nos

como se parecem

o açúcar e o sal

devemos

porém

deixar

de insistir

pois se até

Ícaro

caiu

em si.

MÃOS

Uma trabalha mais que a outra.

Dividem o peso dos anéis.

Uma nunca aprendeu a escrever.

Com isso a outra tornou-se mais silenciosa,

mais firme, mais acostumada ao adeus.

Em alguns gestos entram as duas

numa mesma coreografia

como quando é necessário contar algo

mais que cinco.

Aceitam as manchas dos anos

como solteironas

que envelhecem juntas.

(1) Carlito Azevedo- Poeta carioca, primeiro livro Collapsus Linguae (1991), com o qual ganhou o prêmio Jabuti. Em 2001, reuniu seus poemas na antologia Sublunar (1991-2001). Monodrama (2009) é seu mais recente livro de poesia.

(2) Ana Martins Marques- Poeta mineira. Cito aqui poemas publicados no livro A vida submarina (Editora Scriptum, 2009).Mais Ana aqui .

Não esqueçam a poesia cotidiana que a vida sempre nos oferece.

Meu carinhoso abraço de sábado, o último deste outono, ainda em março.

Maysa

3 comentários:

KINHA disse...

Olá Maysa

Me perdoe a hora. Estive offline o dia todo por conta do rastreamento. Desta vez registramos queixa na Polícia Federal também... Obrigada por seu carinho lá no bloguito.
Pode ficar tranquila, pois hoje foi feito limpeza total. A princípio foi trabalho de hacker e não de vírus..
Ainda não estou conseguindo te seguir. Perguntei aos técnicos que aqui estiveram hoje,sobre isto. Me disseram que talvez como os anti vírus que usamos em nossa rede é bem forte, não aceite alguns locais onde poderia haver resquícios viróticos, o que é comum.
Tentarei novamente amanhã.


Bjooooooooooo...........

http://amigadamoda.blogspot.com

KINHA disse...

Olá Maysa

Amiga, vou tentando. Ainda não consegui. Vou verificar com o Google. Acabo de descobrir que vc foi a seguidora de número 4 mil, parabéns.

Até amanhã com AS VIAGENS DA KINHA.

Bjooooooooooo...........

http://amigadamoda.blogspot.com

Maysa disse...

Kinha

Desejo que este período passe logo. Lamentável, mas fica o aprendizado.
A preocupação se instala. Creio que o Blogger deveria divulgar mais informações, torná-las acessíveis a todos os blogueiros!
Um abraço e continua teu blog é lindo, leve e moderno!
beijo
Maysa