quarta-feira, 8 de abril de 2009

AMAR - Carlos Drummond de Andrade





Jardim da tia Ysa/ Ana Paula/janeiro de2009



Que pode uma criatura senão,

entre criaturas, amar?

amar e esquecer,

amar e malamar,

amar, desamar, amar?

sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,

sozinho, em rotação universal, senão

rodar também, e amar?

amar o que o mar traz à praia,

o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,

é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,

o que é entrega ou adoração expectante,

e amar o inóspito, o áspero,

um vaso sem flor, um chão de ferro,

e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,

distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,

doação ilimitada a uma completa ingratidão,

e na concha vazia do amor a procura medrosa,

paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa

amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.



OOOOO


Ah! Seu Carlos, por que ir tão fundo?
Só prá lembrar que até "nossa falta mesma de amor" pode ser amada?
A tal sede infinita é , bastante conhecida, por todos...mas, o que fazer? como qualquer mortal, sozinho, ao perceber-se...assim "e na concha vazia do amor a procura medrosa, paciente, de mais e mais amor."
Confesso, já amei o áspero, o inóspito, distraída e apaixonada, pela vida, que sou!
Prossigo interrogando, com certo desconforto, meu peito - ainda juvenil - em seus muitos equívocos amorosos ,vida inteira...
Nesse poema , descubro: as interrogações fazem parte da essência do amor, mais que as certezas!
Então, estou à caminho... bem melhor do que já ter encontrado!posto que a vida, por ser breve, melhor não ser conclusiva, senão fica uma chatice, dura de contornar.

Este AMAR, do Drummond, é bom para mim, para v. que está no blog e, minha escolha dedico a duas especiais jovens. Bebel e Ana P.


Bjs Maysa





2 comentários:

Ana P. disse...

Querida, eu passei para dizer: presente! E que presente ...
Obrigada pelo carinho. Este post deve ser comentado com toda calma do mundo, por isso voltarei aqui mais tarde.
Muitos e muitos beijos amorosos e floridos.

Maysa disse...

ANA, você sabe qual é a flor da postagem anterior,mas acho difícil quem vive nos apartamentos e passa pelas praças da cidade saber o nome daquela flor tão especial!!!!
Bjs Feliz Páscoa Maysa