sexta-feira, 24 de abril de 2009

OTTO STUPAKOFF










Um olhar provocante, requintado,elegante,agudo... se foi, mas deixa a memória de sua época. Um pouco minha e de todos que amam a beleza e a poesia em imagens.



foto de Ruy_Fraga


Fotos, da mais alta sofisticação; não porque o assunto ou objeto, no começo, fosse a própria moda. Sua estética, sim, irradia um requinte - o da emoção em saber lidar com o êxtase.Os objetos dessa busca foram múltiplos.O resultado:uma arte da fotografia vigorosa e bela.
Era esse o olhar. Intenso, preciso, agudo e.. fez o périplo! Captura desenvolvida com maestria.

Um ser malicioso, alegre, feliz ,como um menino descobrindo a vida, do sabor ao som das palavras, da vivência à inquietude de inventar mais, menos que o conhecimento já dominado pela técnica.
Assim, o vi pela primeira e última vez. Dia 15 de fevereiro, em seu vernissage, no Instituto Moreira Salles, na Gávea, Rio.
Aconteceram, no mesmo dia e lugar: sua belíssima exposição e outra , igualmente preciosa, de Samson Flexor( 1907-1971) aqui, já comentada.

Revi amigos, alguns, como ele, fotógrafos, Paulo Jabur, Zeka Araújo. Foi um momento lindo.Otto, recebia , à todos com elegância e simplicidade. Acolhia os elogios com um sorriso maroto.


Que notícia triste a da sua partida. A vida é mesmo feita de urgências. Provocadas por algumas tempestades... que nos paralisam.
Tempestades, como a que atingiu o Rio, à noite desta quinta feira, dia de São JORGE.

Reproduzo, aqui, parte da notícia , veiculada pela agência UOL:


"Morreu, aos 73 anos, na madrugada da última quarta (22/4), o fotógrafo Otto Stupakoff. Pioneiro da fotografia de moda no Brasil, Stupakoff vivia num flat no bairro do Itaim, em São Paulo, onde teria passado mal. A causa da morte ainda é desconhecida. O artista, famoso internacionalmente desde os anos 60, realizou ensaios para revistas de moda como a americana Harper's Bazaar, a francesa Elle (cujas fotos viraram acervo do MOMA de Nova York) e a Vogue Paris. Na última revista, uma das publicações mais importantes e influentes de moda do mundo, foi responsável pelas capas a partir de 1972. Além do trabalho na área de moda, Stupakoff é também conhecido por seus retratos de estrelas do cinema como Jack Nickolson, Paul Newman, Sophia Loren e Bette Davis. O velório será realizado no Cemitério São Paulo a partir das 16h30. Fonte: UOL"

Com pesar, deixo minha simples homenagem, a esse artista que amou, conheceu e criou o belo.
Se quiserem mais detalhes sobre sua última exposição, ocorrida no Instituto Moreira Salles, cliquem aqui, O blog, Catando Poesias deu dicas de links, mostrou fotos.Vale à pena ver.


Beijo

Maysa

PS: Se algum amigo quiser postar comentário ou enviar fotos para homenagear OTTO, fique à vontade. Está aberto o espaço.

4 comentários:

Ana P. disse...

Vou mandar imprimir nossa foto com ele, querida! E você tem razão: 'a vida é feita de urgências' ... tem vezes que ou vai ou racha, como diria vovó. E coragem!!!

Maysa disse...

Oi Ana!

Nós que escrevemos, reproduzimos textos maravilhosos sobre o amor, a vida, a solidão devemos render homenagem a esse homem maravilhoso, impetuoso e criativo que foi o Otto.
Que linda a exposição dele lá no Instituto Moreira Salles, em fevereiro!
Vê se destaca, no seu Catando Poesias, foto dele para homenagear sua arte tão especial.
Bjs

Jussara Romão disse...

Olá Maysa,

Meu portrait do Otto foi feito como um exercício de luz.
Eu pedi para fazer algumas imagens dele e ele inventou esta coroa feita de trapos encontrados pela casa. O olhar e a vontade era de força. Um rei poderoso, dominador. Essa era a intenção dele.
Não usei flash, pois adoro os tons que acontecem sem este artifício.

Não imaginei que estaria fotografando momentos tão fortes deste artista das imagens. Foi o último trabalho dele. Nós acabávamos de fotografar seu último editorial para uma revista.
Entre em http://simonemonte.typepad.com e veja no post do dia 23 /04 essas fotos.

bjs

Jussara

Maysa disse...

Jussara,

Grata por sua delicadeza em dar detalhes sobre seu portrait do Otto.

Seu Arquivo Urbano, é muito instigante e vou continuar a visitá-lo, parabéns.E indicá-lo, aqui.

A urgência de que a vida, também é feita, mudou o contexto do ensaio: os "farrapos" escolhidos pelo Imperador foram os tecidos derradeiros sem artifícios...sombras e LUZ!
Se Otto já fazia parte,de nossa História da Arte, fotografia, moda, agora seremos nós, ao reconhecer seu valor, ponte para as próximas gerações de criadores da poesia em imagens.
Bjs

Maysa
Apareça sempre.